Translate this blog

Pesquisar este blog

5.04.2009

Treinamento EcoEmpresarial: Comunicação verbal


Por: Aristides Faria

O ambiente corporativo é, em essência, um ambiente comunicacional. Isto significa afirmar que é um lugar para trocar informações. Este fluxo intenso e permanente tem múltiplas possibilidades e características.

..:: Possibilidades ::..

Enquanto possibilidades, entendem-se os “tipos” de comunicação, a saber: verbal, não-verbal, formal e não-formal, por exemplo.

Nesta oportunidade faz-se algumas reflexões acerca da comunicação verbal, que é aquela feita por meio da verbalização, da fala, expressão direta de pensamentos. Quando as pessoas comunicam-se verbalmente, a possibilidade de entenderem-se e desenvolverem tais pensamentos, trazendo-os “mundo real” é bastante grande já que vivemos de realizações e resultados – pelo menos na empresa.

A questão-chave é a qualidade – boa ou não – de tal comunicação. Apesar de acontecer sem análise prévia, essa troca de informações deve obedecer a alguns requisitos, até mesmo de bons modos.

..:: Características ::..

A comunicação verbal, neste sentido, aumenta as chances de sucesso caso aconteça de forma clara e sem ou com poucos ruídos, que são elementos que perturbam a compreensão mútua. O ambiente corporativo e a vida profissional possuem uma série de controles e processos que buscam diminuir a possibilidade de mal entendidos e distorções. Trata-se de uma espécie de “segurança”, que não existe no ambiente natural. O objetivo é tornar normal e rotineira a vida dentro da empresa, totalmente diferente do que acontece na natureza.
Ao vivenciar uma atividade em grupo no ambiente natural, as pessoas percebem que estão envoltas por insegurança, incerteza e “descontrole”. A falta de segurança caracteriza-se pelo desconhecimento e pela falta de familiaridade com a natureza. Na mata, não sabe-se sequer se o próximo passo é seguro ou mesmo se o caminho em que se caminha é o correto, é o que levará ao destino desejado. O ambiente não-controlado da floresta ou de um rio desperta a necessidade – de sobrevivência, por que não? – de comunicar-se bem e com objetivos claros, sem rodeios.

Na mata, troca-se informações intensa e permanentemente, assim como no ambiente corporativo. A diferença é que há um objetivo maior e coletivo. A tarefa a cumprir – percorrer uma trilha ou remar em um rio, por exemplo – passa a ter um significado amplo e holístico.

É interessante notar como aumenta a coesão em relação a tarefa e, também, quanto a equipe. Cumprir tal tarefa é importante, mas ganha um sentido maior, que é fazer isso em harmonia – e comunicação – com todo o time.

Para vivenciar atividades ao ar livre no litoral de São Paulo clique aqui!

PUBLICAÇÃO SIMULTÂNEA NO BLOG DA ABBTUR SÃO PAULO E NO WEBSITE OUTRO LADO DA NOTÍCIA.
Postar um comentário