Translate this blog

Pesquisar este blog

5.01.2009

O Líder Garçom: Uma Abordagem Da Liderança Servidora

Por: Lucas Rafael dos Santos

Ao longo do tempo chefes, gerentes e diretores eram reconhecidos como líderes, simplesmente por possuírem posições privilegiadas dentro das organizações. Mas atualmente isso já está saindo de moda. Na liderança servidora, os subordinados acreditam no líder.

Ao longo do tempo chefes, gerentes e diretores eram reconhecidos como líderes, simplesmente por possuírem posições privilegiadas dentro das organizações. Mas atualmente isso já está saindo de moda. Na liderança servidora, os subordinados acreditam no líder, assumem um relacionamento de confiança e são comprometidos com a empresa, obtendo maiores e melhores resultados; diferentemente dos funcionários vigiados e mandados pela liderança autoritária.

Existem múltiplos conteúdos escritos sobre estilos de liderança e você já deve ter lido pelo menos um deles. Diversos escritores renomados ou não se dedicaram e dedicam até hoje a pesquisar e escrever sobre o tema.

Dentre os estilos de liderança estudados, a liderança servidora se destaca pelos seus resultados eficazes. O líder servidor "abre os olhos" de seus liderados. Ele tem o brilhantismo natural da paixão pela causa e contagiam os outros com sua coragem e entusiasmo.

A liderança servidora tem a essência de um garçom, que tem a missão de servir os clientes em restaurantes, festas, eventos e Buffet. O garçom dedica-se à arte do servir bem; busca a satisfação do cliente. O líder servidor tem a missão de servir seus colaboradores ou subordinados dentro da organização; ele conquista o direito de liderar o grupo naturalmente sem necessidades de conflitos, disputas ou pressões.

Muitos líderes colocados nas empresas são acobertados pela hierarquia e se colocam como superiores, impondo suas ideias, opiniões e pensamentos a seguidores, subordinados e dependentes. Nesse modelo não existe comunicação ou diálogo. Esta liderança não possui perfil ideal de um bom líder e acaba frustrando e "queimando" talentos.

Para que isso não ocorra, as pessoas podem desenvolver as características do líder servidor. Jesus Cristo - considerado por milhões de pessoas o maior líder do mundo, pelo seu amor à humanidade, pelas suas atitudes, poder de influenciar, trabalho em equipe e principalmente o estilo de liderança servidora - disse: "Quem quiser ser líder deve ser primeiro servidor. Se você quiser liderar, deve servir."

O líder garçom se entrega inteiramente a uma causa e trabalha duramente para levar suas ideias ou mensagens em benefício do maior número de pessoas. Jesus confiou em 12 homens - seus discípulos - e em três anos os conheceu, os ensinou e se humilhou. Cristo se fez como igual e após a sua partida, os discípulos continuaram a sua missão. Missão esta que permanece acesa até hoje no coração da humanidade.

Jack Welch destacou que "o mundo pertencerá a líderes resolutos e movidos pela emoção (...), a quem não apenas possui grandes reservas de energia, mas também for capaz de energizar seus liderados".

O grande guru da administração, Peter Drucker, disse: "A única definição de líder é alguém que possui seguidores. Algumas pessoas são pensadoras. Outras, profetas. Os dois papéis são importantes e muito necessários. Mas, sem seguidores, não podem existir líderes".

O garçom serve sem olhar crença ou raça, sem observar se a pessoa tem ou não poder aquisitivo; ele deve encantar o consumidor com o seu bom atendimento, compromisso e dedicação. Ele está muitas vezes em uma posição de humilhação, mas permanece firme em suas atividades. Mesmo passando por adversidades, o seu cartão de visitas - o sorriso - permanece consigo.


Você pode me indagar qual a relação do líder servidor com o profissional garçom? Acredito que sejam as características do garçom e da liderança servidora de bem servir, humilhar-se, dedicar-se, relacionar-se de igual para igual para sobreviver o dia-a-dia e alcançar êxito, sucesso e objetivos.

James C. Hunter autor de "O Monge e o Executivo" acredita que liderar não é ser "chefe". Liderar é servir. Embora "servir" tenha conotação de fraqueza para alguns, a liderança servidora pode ter um impacto positivo em nosso desempenho como pais, treinadores, cônjuges, professores, pastores ou gerentes. Afinal, todos querem se tornar os líderes que as pessoas precisam e merecem.

Pense nisso e desenvolva a sua liderança servidora. Ao encontrar um garçom tome nota.

* O autor é graduando em Administração pela Fundação de Ensino Octávio Bastos (UNIFEOB)-SP, Practitioner - Formação em Programação Neurolingüística (PNL), Técnico em Gestão Empresarial. Palestrante - é um ótimo comunicador, ama falar em público e ensinar sobre o que domina. Atua principalmente nos seguintes temas: Desenvolvimento Humano, Comunicação, Liderança, Criatividade, Motivação, Empreendedorismo, Qualidade, Sucesso.
Postar um comentário