Translate this blog

Pesquisar este blog

2.15.2008

Acessibilidade: mergulho adaptado

Há algum tempo venho investindo em estudar o que é a tal "Hospitalidade". Desde o Congresso Brasileiro de Turismo (2004), cujo tema central era a Humanização do Turismo, venho me aprofundando na temática e, quando percebi que tem tudo a ver com Gestão de Recursos Humanos... fiquei bastante contente.


Indo além, cheguei aos conceitos e às diversas iniciativas relativas à promoção da "Acessibilidade". Há poucos dias publiquei matéria sobre o tema e escrevi algo como "não há verdadeira Hospitalidade sem Acessibilidade". Esta é a grande chave!

De que vale um simpático "bom dia", quando uma pessoa com baixa mobilidade ou com baixa visão, enfrenta dificuldades e constrangimentos a gozar dos serviços da empresa? Enfim, compartilho matéria apresentada no Jornal Nacional de 14/02 último no Jornal Nacioal, da Rede Globo. Na matéria, cujo tema é o mergulho adaptado e seus adeptos, aparece meu primo Eduardo Mishina (Duda). É bem verdade que não convivemos tão de perto, mas estamos em permanente contato, torcendo pelo sucesso um do outro, certamente. Ofereço os parabéns pela iniciativa iluminada do instrutor Vicente! Meus parabéns!!

Um instrutor que há 25 anos leva portadores de necessidades especiais para conhecer o fundo do mar. Uma aventura, que normalmente começa na piscina.

Você vai conhecer agora a história de Vicente, um instrutor que há 25 anos leva portadores de necessidades especiais para conhecer um mundo novo. Uma aventura, que normalmente começa na piscina, e que foi acompanhada pelos repórteres Ernesto Paglia, Dennis Leutz e Ulisses Mendes.

Cada jogada exige apoio. Daniel Pamos, 17 anos, sofre de autismo, uma síndrome que atrapalha o desenvolvimento desde a infância.

“Ele era muito quieto, ele não falava nada, não falava o famoso ‘papai e mamãe’, mas ao mesmo tempo ele se virava sozinho”, conta o pai de Daniel, Alberto Pamos.

Agora, o rapaz vai mergulhar pela segunda vez na vida. A expectativa é mais forte que o silêncio. Pequenas vitórias como esta fazem Vicente Albanez continuar sua luta de 25 anos.

O instrutor é um pioneiro, ajudou a trazer para o Brasil o mergulho adaptado, a ousada arte de levar portadores de deficiência para conhecer o fundo do mar.

“Você vê que a beleza lá é indescritível e levar todo mundo com essa segurança, essa paz, essa harmonia, é uma coisa muito boa”, conta Vicente.

O mestre estimula a autoconfiança.

O rapaz segura minhas mãos calmamente, enquanto espera pelo instrutor. Ele chega e passeia com Daniel. Mais uma vez, acontece a magia que rompe o isolamento.

Crescer na cadeira de rodas não isolou Simone Bruneri do mundo. Do atropelamento, aos seis anos de idade, até o mestrado em veterinária, o curso de mergulho com Vicente, ela nunca entregou os pontos.

“Embaixo d´água você faz o que você quer, você vira cambalhota, a força da gravidade não atua. E por isso você tem movimentos, pode fazer o movimento que você quiser, que você consegue”, diz ela.

Luis César nasceu com problemas nos braços e nas pernas. Há dez anos, ele conheceu a liberdade do mergulho.

“É uma sensação indescritível. A natureza está aí pra gente desfrutar, pra todo mundo”, convida Luis.

“Justamente para eles perceberem que eles são independentes na água”, define o instrutor Vicente.

Para Vicente e seus filhos aquáticos, como ele costuma se referir aos alunos de mergulho, limite parece ser apenas uma palavra com seis letras. E se a idéia é mergulhar sem limites, não há lugar melhor do que o mar.

Vicente começa com Daniel. Os cardumes dão boas-vindas. E a estrela do mar fascina o garoto. Hoje, Daniel expandiu os seus limites.

O advogado Eduardo Mishina também vai mergulhar. Nas mesmas águas em que ficou paralítico. “Eu estou pronto pra mergulhar de novo”, garante ele.

Cada mergulho é uma vitória. Simone dá cambalhotas. Eduardo supera a imobilidade das mãos. O mar nem percebe mas, hoje, como sempre acontece, Vicente deixou nele uma pequena e emocionada contribuição.

“Toda vez que eu vou, parece que é a primeira vez. Então me emociono muito e choro muito lá embaixo’, confessa ele".

Assista a matéria: http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM790137-7823-INSTRUTOR+
APRESENTA+UM+MUNDO+NOVO+A+DEFICIENTES,00.html

Foto de Barra do Una, litoral Norte de São Paulo, município de São Sebastião, onde foi feita a filmagem: http://www.ecoviagem.com.br/fotos/sao-paulo/sao-sebastiao/praia-da-barra-do-una/
8696gra-ver-o-por-do-sol-do-morro-entre-juquehy-e-barra-do.jpg
Postar um comentário