Translate this blog

Pesquisar este blog

3.23.2009

Treinamento EcoEmpresarial: Respeitar o outro e sua opinião

Por: Aristides Faria

Certamente você já passou por um momento “DR”. Esta hora é a da verdade. É a da Discussão do Relacionamento. Não apenas no casamento, mas em todos os universos em que convivemos – ou apenas co-habitamos – com outras pessoas estes momentos tornam-se inevitáveis. O que não é necessariamente ruim.

Conversar e ter a oportunidade de aprender mais sobre as pessoas com quem compartilhamos nosso quotidiano deve ser tido como algo positivo. Literalmente, uma oportunidade para amadurecermos nossa visão “do outro” e de nós mesmos.

Especificamente no trabalho os momentos “DR” têm um agravante: não escolhemos nossos colegas de trabalho. Além disso, quando podemos escolhe-los – em situações de recrutamento e seleção – acabamos incorrendo em erros de julgamentos e ponderações. Resultado? Selecionamos errado. Fazemos isso com base nas semelhanças e afinidades. Esquecemos das competências e do potencial de desenvolvimento pessoal e profissional dos candidatos.

É normal escolhermos as pessoas com quem vamos conviver sob a visão das semelhanças. No trabalho deveríamos esquecer este dispositivo/impulso e basear nossas escolhas em competências técnicas e requisitos comportamentais. Vamos aborda-los aqui de forma bastante sucinta.

Competências técnicas: é o rol de tarefas que o indivíduo tem capacidade de resolver com excelência. São as atribuições que o candidato poderá abraçar sem medo e terá com certeza um nível de performance altíssimo. Exemplo: o candidato é competente no atendimento direto ao público que procura seu hotel.

Requisitos comportamentais: trata-se de um check list que relaciona o desempenho do candidato em relação a seus comportamentos e atos frente a situações diversas do trabalho. Exemplo: o candidato não respondeu de forma áspera àquele hóspede que o insultou na frente de seus colegas e de outros clientes.

O equilíbrio entre as competências técnicas e os requisitos comportamentais são a receita do bolo! Quando encontrar alguém que realize seu trabalho de forma competente e ainda suporte à pressão. Contrate. O que? Não gostam da mesma cor? Não torcem para o mesmo time? Não têm a mesma preferência sexual? Não importa. Contrate.
Perceba a oportunidade de aprender mais sobre as pessoas com quem convivemos como algo positivo e como, definitivamente, uma oportunidade. O que fazemos com elas? Agarramos e jamais a deixamos escapar. Portanto, respeite o outro e toda sua história de vida. Respeite sua opinião e toda a complexidade da vida que lhe levou a pensar de uma forma diversa da sua.

Em atividades vivenciais ao ar livre é interessante notar que as máscaras caem. Estamos lidando com o inesperado. Nestes momentos, discutir a relação parece ser interessante, pois estamos em uma espécie de campo neutro e não-controlado. Torna-se impossível esconder-se atrás de uma mesa e temos de viver aquele relacionamento com base na confiança e na dependência mútua, o que a ecologia chama de simbiose (relação mutuamente vantajosa entre dois ou mais organismos vivos de espécies diferentes). Experimente!

Para experimentar um treinamento vivencial ao ar livre no litoral de São Paulo clique aqui!

PUBLICAÇÃO SIMULTÂNEA NO BLOG DA ABBTUR SÃO PAULO E NO WEBSITE OUTRO LADO DA NOTÍCIA.
Postar um comentário