Translate this blog

Pesquisar este blog

3.23.2009

Cuide do seu prazo de validade: durma

Entenda por que o sono está longe de ser uma perda de tempo ou um “momento passivo” para o seu organismo.

Por: Marco Túlio de Mello e Sergio Tufik* - Portal AMANHÃ

Alguns empresários me perguntam se poderiam dormir menos. Para eles, dormir é uma grande perda de tempo. Costumo propor um desafio para demovê-los dessa ideia:

- Antes de tentar dormir menos, vamos apostar em outra estratégia - sugiro a eles.

- Quantos litros de água você bebe por dia? Entre um litro e meio e dois litros, certo? Então vamos ficar um mês ingerindo somente a metade desse volume, tudo bem?

- Não, isso vai fazer mal a minha saúde! - costumam responder, assustados.

- A água é fundamental para o meu organismo...

- Ok, tudo bem, eu já esperava que você fosse me responder isso. Agora, por que você acha que o sono é diferente? Você acredita que dorme sem necessidade? Que passa quase um terço de sua vida dormindo e que isso não tem nenhum significado para o seu organismo?

Acreditar que o sono é um momento passivo e que ele não traz nenhum benefício é um grande erro. É durante o sono que você realiza a sua recuperação física e cognitiva. O sono auxilia no aprendizado e na memória. Durante o período em que dormimos, o nosso organismo passa por diferentes fases que podem ser divididas em sono NREM (onde não ocorrem movimentos rápidos dos olhos) e em sono REM (fase em que movimentamos os nossos olhos).

O sono NREM é subdividido em três fases: 1, 2 e Delta. O estágio 1 é inicial e abrange de 4% a 5% de uma noite total de sono. Já o estágio 2 representa quase metade do tempo de sono, mas é "pouco recuperador" - é uma espécie de transição para as etapas de sono mais profundo. Finalmente, o estágio Delta é aquele em que temos a liberação do hormônio do crescimento e realizamos todo o nosso processo de recuperação física.

Durante o sono REM, nossos músculos se "desligam" e perdem o tônus. Apresentamos movimentos de olhos e sofremos um aumento da nossa pressão arterial cerebral e da frequência cardíaca. Nesta fase é que "deletamos" os aprendizados que não nos interessam e consolidamos o processo de memorização. É comum termos sonhos dos quais podemos lembrar - desde que tenhamos um breve despertar ou uma superficialização do sono imediatamente após o seu acontecimento.

Agora, faça uma reflexão: você ronca? Para de respirar enquanto dorme? Chuta as pernas durante o sono? Range os dentes? Existem mais de 100 distúrbios que podem comprometer a qualidade e eficiência da sua recuperação. Quando isso acontece, você não consegue entrar nas fases "boas" do sono (Delta e REM). Fica somente naquele estágio com baixo potencial de recuperação, a 2 do sono NREM. Essa restrição é muito prejudicial e traz consequências dramáticas ao organismo. Entre elas, a perda de memória e cognição e um aumento no risco de alterações cardiovasculares (principalmente para quem tem apneia). A recuperação física também fica prejudicada. É por isso que, no dia seguinte, você acorda cansado e irritadiço.

Também é por isso que está sempre com seu sistema imunológico baixo e fica gripado com tanta facilidade.

Sempre que você estiver dormindo mal, pense que o seu maior patrimônio é a sua saúde. É preciso administrá-la - do contrário, você terá a sua expectativa de vida diminuída. Com um "prazo de validade" menor, você terá menos tempo para buscar os seus principais objetivos de vida.

* Os doutores Mello e Tufik são professores do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Ambos atuam na disciplina de Medicina e Biologia do Sono e são pesquisadores do CNPq.
Postar um comentário