Translate this blog

Pesquisar este blog

1.02.2010

Simplicidade e Simpatia – Receita para o primeiro dia de trabalho

Por: Ione Luques - O Globo

O primeiro dia de trabalho sempre causa um friozinho na barriga. A maneira como se comportar e como será recebido pelos colegas são questões que causam ansiedade e insegurança em muitos profissionais que estão iniciando uma nova fase na carreira. Pois as principais dicas dos consultores de RH para quem quer causar boa impressão são: simplicidade e simpatia. O ideal é não chamar atenção demais. Nem, claro, passar despercebido.

Para Rudney Pereira Junior, gerente de projetos do Grupo Foco, colher informações sobre a empresa e seus gestores transmite a segurança necessária para o dia D.

- Mas o novo funcionário precisa entender que, nos primeiros dias, deve adotar uma postura de observador e não ter vergonha de perguntar. Claro que deve refletir bem sobre quais perguntas fazer. Caso contrário, pode tornar-se inconveniente - afirma o consultor.

Para Mauro Schweizer Leite, sócio-diretor da Insight Consulting, empresa de consultoria especializada na área de gestão empresarial, há situações distintas, conforme a faixa etária do novo funcionário. Se for uma pessoa jovem e com pouca ou nenhuma experiência, deve-se levar em conta que quem o contratou não espera uma contribuição revolucionária logo de cara.

Da mesma opinião de Pereira Junior, Schweizer afirma que o novo empregado deve buscar entender o ambiente, conhecer bem a empresa e seu papel, demonstrando interesse, humildade e entusiasmo. Uma boa forma de buscar informações, diz ele, é navegar no site da empresa, procurar notícias na mídia e conversar com quem conhece bem a companhia.

- Isso acelera a adaptação e demonstra empenho e interesse. Saber ouvir também é importantíssimo - completa.

Para causar boa impressão, simpatia é a palavra-chave na opinião de Pereira Junior. Da mesma forma que tudo é novidade para o novo funcionário, a empresa, as áreas e as pessoas também o verão como uma nova peça da engrenagem:

- A adaptação é mútua. Estar inserido no contexto e procurar ser simpático, sem ser forçado, são condições que trazem uma adaptação sem traumas.

Schweizer acrescenta que o novo funcionário não deve querer passar por algo ou alguém que não é, pois, normalmente, o disfarce é logo desmascarado. Também não deve subjugar quem já atua na área: antes de sair afirmando ou sugerindo transformações, o novato deve entender o que já foi feito e o porquê. Deve ainda descobrir ''o caminho das pedras'' para ver qual a melhor forma de viabilizar suas idéias.

- Humildade, cordialidade e simpatia são as melhores armas para causar boa impressão e se adaptar bem à nova empresa - afirma Schweizer.

..:: Como lidar com o chefe ::..

Lidar com os chefes no começo pode ser motivo de ansiedade e o o ideal é conhecer o terreno primeiro. A forma como o funcionário deve agir vai depender muito do gestor - se é mais formal ou despojado.

- Independentemente de seu estilo, a regra básica é olho no olho, mas sempre de forma respeitosa. O chefe quer saber se o funcionário é digno, responsável e, sobretudo, que pode confiar nele - diz Schweizer.

Pereira Junior acredita que, no período de adaptação, discrição é fundamental. Evitar comentários que podem ser mal interpretados e respeitar os horários são atitudes fundamentais.

- O ideal é observar o funcionamento de sua área para que a adaptação seja rápida e indolor.

..:: A hora do almoço ::..

A hora do almoço é um capítulo à parte. Não é de bom tom se convidar para acompanhar os novos colegas, mas o indivíduo pode se aproximar das pessoas procurando saber quais as opções de restaurantes, as preferências e sugestões, aconselha Schweizer. Sendo simpático e espontâneo, certamente um convite irá surgir.

Na opinião de Pereira Junior, o ideal é tentar se enturmar, sem forçar sua presença. O que não pode é o novo funcionário se isolar, inventando motivos para não interagir com os colegas de trabalho.

Postar um comentário