Translate this blog

Pesquisar este blog

11.24.2008

O enigma chamado “Liderança”

Por: Patrícia Bispo RH.com.br

Evolução. Essa palavra tem sido citada constantemente nos mais variados canais de comunicação, nos centros acadêmicos e, como não poderia ser exceção, também tem sido amplamente utilizada no ambiente corporativo. Afinal, cada vez mais as informações chegam às empresas e conseqüentemente aos profissionais em uma velocidade que assustam. E quem não se adapta a esse mundo de constante transformação, torna-se um forte candidato a ficar à margem da concorrência e perder espaço no mercado.

Contudo, essa mesma evolução logicamente exige adaptações tanto das empresas quanto dos profissionais. Mas será que esse processo ocorre naturalmente, sem que haja necessidade da presença de determinados "atores" que ajudarão a conduzir esse "espetáculo mutante"? Obviamente que a resposta é negativa. Para que as mudanças sejam assimiladas corretamente pela empresas, torna-se necessária a presença do líder - aquele que ajudará os colaboradores a formarem equipes eficazes e que atendam às necessidades do negócio.

Para César Souza, consultor organizacional e especialista no desenvolvimento de líderes - ainda existem conceitos antigos que são utilizados pelas organizações no que se refere à atuação das lideranças. "Liderança não é cargo, nem posição social, nem uma coisa de uns poucos privilegiados. Não é coisa de visionários, como a literatura quer nos fazer acreditar. O líder deve ter conteúdo, pois 'saco vazio não fica em pé muito tempo'. Líder também não nasce pronto. Não existe DNA de líder", afirma. Em entrevista concedida ao RH.com.br, César aborda questões sobre o papel da liderança e quais os impactos que a nova geração de líderes causará às organizações. Confira a entrevista na íntegra e compartilhe o conteúdo dessa publicação com seus gestores e os demais colaboradores!

RH.COM.BR - O conceito de liderança passou por várias evoluções e continua em constante processo de mudança. Em sua opinião, qual a transformação mais acentuada que envolveu as lideranças no ambiente organizacional brasileiro nos últimos dez anos?
César Souza - Infelizmente, poucas mudanças. O paradigma continua o mesmo. Os conceitos são antigos. Ainda se fala em liderança como sinônimo de carisma, liderança como sendo cargo. Pouco evoluiu. Temos que mudar nossa forma de pensar e de exercer a liderança. Liderança não é cargo, nem posição social, nem uma coisa de uns poucos privilegiados. Não é coisa de visionários, como a literatura quer nos fazer acreditar. Liderança tampouco é sinônimo de carisma. Se uma pessoa tem carisma ótimo, pois ajuda a sua liderança. Mas se o seu grau de carisma é baixo, ótimo também. O líder tem de ter conteúdo, pois "saco vazio não fica em pé muito tempo". Líder também não nasce pronto. Não existe DNA de líder. A gente não nasce líder, a pessoa aprende a ser líder. Infelizmente, os exemplos de líderes que temos tido, de vários políticos e de vários presidentes de empresas, são os piores possíveis. As mudanças positivas que vejo estão relacionadas a pessoas que inspiram os outros pelo exemplo, como Ulisses Tapajós - presidente da Masa da Amazônia é um deles -, em vez de tentar inspirar apenas pela hierarquia ou pelo carisma. Lamentavelmente, formamos lideres para uma realidade que já não existe mais.

Confira a entrevista no Portal RH.com.br
Postar um comentário