Translate this blog

Pesquisar este blog

4.14.2009

Férias concorridas: veja como resolver esse dilema

Por: Luana Cristina de Lima Magalhães - InfoMoney

Depois de um ano corrido de trabalho, o cansaço vem à tona. Para relaxar e fugir um pouco do ambiente corporativo, você decide pedir férias. Mas, ao fazer a solicitação, surge a descoberta: há mais pessoas da equipe que também fizeram o mesmo pedido. E agora, como o líder pode resolver esse dilema?

Na opinião da professora do MBA (Master Business Administration) de Recursos Humanos da BBS (Brazilian Business School), Silvana de Mello, o gestor precisa ter um planejamento para o ano inteiro. "O certo é o líder analisar cada membro da equipe. Se a pessoa é casada e têm filhos, é natural que ela queira tirar férias nos períodos de recesso escolar".

Critérios para as férias

Para que as férias sejam democráticas a todos os funcionários, Silvana aponta algumas saídas que podem auxiliar o chefe na decisão e no planejamento. "Uma forma de ser correto é fazer um rodízio, ou seja, se o colaborador tirou férias em julho, no próximo ano, ele terá o recesso em outro mês. Outra alternativa é pedir para que o profissional divida as suas férias em partes".

Entretanto, a professora ressalta que o critério "tempo de casa" não é um modo eficaz e democrático de decidir as férias de um membro da equipe. Por exemplo: uma pessoa com dois anos de empresa quer tirar férias em julho por causa de seus filhos. Outra tem 20 anos de empresa e quer a mesma coisa. O mais usual seria atender ao pedido da primeira.

Resistência do líder

Atualmente, o líder tem muita dificuldade em aceitar que os membros da sua equipe tirem férias, pelo fato de que só há uma pessoa para fazer determinada atividade. Entretanto, na visão da professora, o gestor precisa ter em mente que as férias são importantes para o seu funcionário, pois lhe propicia qualidade de vida.

"O momento de férias de um colaborador pode ser para o líder um período de estratégia inteligente, no qual ele testa outros membros da equipe em atividades diferentes. Desta forma, há um ganho de competência nova, já que outras pessoas exercerão funções diversas".

Ao profissional

Para aqueles colaboradores que completaram um ano de serviço prestado, Silvana aconselha que ele se posicione e converse com o seu gestor, expondo as suas necessidades de um tempo para descansar. "Fale para o seu líder que você pretende tirar férias com, no mínimo, seis meses de antecedência, para que ele possa se planejar com o departamento de Recursos Humanos".

Com as férias marcadas, chegou a hora de planejar o seu tempo de ausência na empresa. "Monte um cronograma, adiante suas atividades programadas para o período de férias ou ensine a pessoa que irá ficar no seu lugar. Seja comprometido e responsável, assim a empresa não sentirá tanto a sua ausência nem terá problemas".
Postar um comentário