Translate this blog

Pesquisar este blog

8.24.2018

Análise técnica do turismo em Guarujá

Aristides Faria, professor do Instituto Federal de São Paulo.

A profissão de Bacharel em Turismo não possui uma regulamentação nacional, isso significa que não há atributos ou requisitos claros para que uma pessoa exerça esta profissão – que também possui a denominação de “Turismólogo”.

Ocorre que, a despeito da simplicidade com que o setor de viagens e turismo é administrado – o que, em verdade, prescinde a atuação de administradores – eu penso que falta muito profissionalismo na gestão pública municipal do turismo em nossa região.

Não me refiro a carência de competências técnicas apenas, mas à falta de vontade política, de inteligência emocional e de inteligência no gerenciamento das relações interpessoais, que são imprescindíveis para o desenvolvimento dos negócios do setor.

Por meio destas reflexões iniciais e mesmo superficiais eu gostaria de introduzir os amigos leitores a um exemplo de análise técnica que é possível de ser – rapidamente – feita a respeito da atividade turística em nível municipal.

Inicialmente, fiz uma consulta ao Google, lançando os termos “turismo” e “Guarujá”. A primeira resposta veio do portal TripAdvisor, guia turístico e plataforma de informações e reservas de alcance mundial. Ao clicar, fui direcionado para uma página intitulada “Os 10 melhores pontos turísticos”.

Ao todo, tais pontos turísticos foram categorizados da seguinte maneira: Natureza e parques (21), Atividades ao ar livre (19), Zoológicos e aquários (1), Pontos turísticos e de interesse (12), Compras (8), Vida noturna (3), Recursos para viajantes (1), Concertos e shows (1), Passeios gastronômicos (1), Spas e bem-estar (2), Excursões (1), Passeios de barco e esportes aquáticos (1) e Diversão e jogos (1).

Mesmo que eu não conhecesse a cidade, seria possível identificar, em uma primeira olhada, uma aparente vocação para atividades voltadas ao contato com a natureza (21) e lazer ao ar livre (19). Ambas as categorias fazem alusão às belas praias e mirantes da cidade.

É possível, então, lançar a seguinte questão: Nossas praias, mirantes e parques são tão excelentes quanto devem ser os principais atrativos turísticos do destino Guarujá?

Explorando a página de resultados do TripAdvisor, eu acessei os resultados da categoria “Atividade ao ar livre em Guarujá” e ordenei os resultados a partir da classificação (melhores avaliações) dos usuários, que, em tese, visitaram tais pontos turísticos.

De acordo, então, com as melhores avaliações dos usuários os cinco principais atrativos turísticos desta categoria foram os seguintes: 1. praias Iporanga e das Conchas (77% avaliaram como “Excelente”), 2. Praia de São Pedro (74% “Excelente”), 3. Praia de Iporanga (71% “Excelente”), 4. Praia do Tombo (54% “Excelente” e 35% “Muito bom”) e 5. praias de Pernambuco e do Mar Casado (60% “Excelente” 31% “Muito bom”) – a sexta colocação seria a praia de Pernambuco (50% “Excelente”).

Notem que obtive acesso a este verdadeiro diagnóstico rápida e gratuitamente. Isso significa que, sendo ou não Turismólogo, os destinos têm à disposição um verdadeiro arsenal de informações de boa qualidade para gerenciar seus equipamentos, serviços e atrativos. Diante deste cenário, estamos no caminho certo? Aliás, rumo a qual futuro mesmo?

Fale com o autor: aristidesfaria@ifsp.edu.br
Postar um comentário