Translate this blog

Pesquisar este blog

4.28.2015

Gestão de recursos públicos: inversão de valores

Por: Aristides Faria

É muito interessante observar como os papéis que exercemos na vida se confundem e os reflexos que isso traz para nosso cotidiano. Essa reflexão não é nova, naturalmente, mas tem se renovado ao longo do tempo, sobretudo, pela permanente e acelerada evolução das tecnologias da informação e comunicação.

A fragmentação familiar e o medo dos pais “perderem” seus filhos para seus amigos ou, pior, para os nem tão amigos assim induz os pais a buscarem ser os melhores amigos de seus filhos. Em princípio, muito bom! Ocorre que certo distanciamento (não medo!) pode ser salutar na relação pais-filhos.

O desafio é, justamente, encontrar o ponto de equilibro, um balanço entre o mito (distante) e o amigão (próximo). Penso assim apenas a partir de minha experiência como filho. Estou planejando o próximo passo com minha esposa Mariana e os desafios do futuro parecem bem grandes! Vamos aguardar!

Bem, essa reflexão inicial, em verdade, tem muito a ver com os papéis que exercemos na esfera profissional. O mesmo dilema distanciamento-proximidade é experimentado nas relações chefe/subordinado, por exemplo.

Outro conflito comum se refere à impressão de propriedade que muitos profissionais têm quanto a seus cargos, instituições que representam e, sobretudo, sobre os recursos que (pseudo) “administram”.

O expoente neste ano de 2015 é o caso da Petrobrás. A imbricação de interesses e a sobreposição de papéis parece ter alcançado um ápice na história brasileira. Esse sistema de pensamento/ação “macro” pode ser traduzido para as esferas “meso” e “micro” da sociedade.

Dentro de alguns meses o Marco Regulatório do Terceiro Setor (Lei nº 13.019, de 31 de julho de 2014) – já publicado e apenas aguardando entrada em vigor – mudará a perspectiva de compreensão das relações – nem sempre claras ou transparentes – entre poder público, entidades do 3° setor, iniciativa privada e os cidadãos “comuns”.

A referida Lei considera amplamente aspectos relacionados à transparência gerencial de ambas as partes. O poder público deverá publicar anualmente os “valores aprovados na lei orçamentária anual vigente para execução de programas e ações do plano plurianual em vigor” (art. 9°).

Além disso, a “administração pública deverá manter, em seu sítio oficial na internet, a relação das parcerias celebradas, em ordem alfabética, pelo nome da organização da sociedade civil, por prazo não inferior a 5 (cinco) anos, contado da apreciação da prestação de contas final da parceria” (art. 10°).

Por outro lado, a entidade que mantiver contrato/parceria/convênio junto ao poder público deverá “divulgar, em seu sítio na internet, caso mantenha, e em locais visíveis de suas sedes sociais e dos estabelecimentos em que exerça suas ações, todas as parcerias celebradas com o poder público” (art. 11).

As informações de que tratam dos artigos 10° e 11 deverão incluir, no mínimo: I - data de assinatura e identificação do instrumento de parceria e do órgão da administração pública responsável; II - nome da organização da sociedade civil e seu número de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ da Secretaria da Receita Federal do Brasil - RFB; III - descrição do objeto da parceria; IV - valor total da parceria e valores liberados; V - situação da prestação de contas da parceria, que deverá informar a data prevista para a sua apresentação, a data em que foi apresentada, o prazo para a sua análise e o resultado conclusivo (art. 11, parágrafo único).

A população tem, sim, direito e dever de monitorar o trabalho de servidores públicos, dirigentes de entidades conveniadas com o Estado e mesmo as condições contratuais que regem essas relações, que muitas vezes são construídas erroneamente a partir da sobreposição de papéis e interesses.

Finalizo este breve artigo citando ainda o art. 12 do referido dispositivo: “a administração pública deverá divulgar pela internet os meios para apresentação de denúncia sobre a aplicação irregular dos recursos transferidos”.

Um forte abraço!

Sucesso sempre,

Aristides Faria

4.26.2015

Itanhaém (SP) sediará quinta edição do Seminário de Hospitalidade


Em abril de 2016 o município receberá empresários, profissionais e autoridades para discutir a Gestão pública do turismo.

[RH em Hospitalidade], empresa promotora do Seminário de Hospitalidade do Litoral Paulista (SEHLIPA), realizou a quarta edição do evento no último sábado (25) em Santos, nas dependências do Mercure Santos Hotel.

O Seminário reuniu aproximadamente cem participantes para discutir tendências e propostas para o desenvolvimento do turismo regional no litoral paulista. Durante o evento a [RH] anunciou a sede da próxima edição desse grande encontro: Itanhaém (SP).

Esse município possui grande importância para a economia regional, sobretudo, para os negócios do setor de turismo. O tema central da quinta edição do evento será “Gestão pública municipal do turismo”.

Serão levados a debate assuntos como democratizaçãoparticipação societal e o fortalecimento das bases, por meio, por exemplo, da efetividade dos Conselhos Municipais de Turismo.

Aristides Faria, idealizador do projeto ministrará a palestra de abertura do V SEHLIPA. O tema de sua fala será “Competitividade no setor de viagens e turismo”, quando o palestrante apresentará os resultados de sua dissertação de Mestrado em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi (no momento, em fase de conclusão).

Os demais palestrantes e as ações de lançamento pré evento serão comunicadas ao longo dos meses que antecedem ao SEHLIPA | Itanhaém 2016. É certo que o evento será um amplo espaço de diálogo entre os diversos atores do turismo regional e que o público terá acesso a grandes profissionais e temas relevantes!

..:: Sobre o SEHLIPA ::..

O projeto do SEHLIPA foi criado e lançado no ano de 2011. A primeira edição do evento foi realizada no município do Guarujá (2012), o segundo Seminário aconteceu em Praia Grande (2013), a terceira edição do evento foi em São Paulo, em abril de 2014, e a quarta aconteceu em Santos (2015).

O público-alvo do projeto é composto por profissionais, empresários e autoridades atuantes no setor de turismo. O objetivo do SEHLIPA é criar espaço para relacionamento corporativo e geração oportunidades de negócios.

SEHLIPA se consolida como espaço de diálogo entre profissionais do turismo



A quarta edição do Seminário de Hospitalidade do Litoral Paulista (SEHLIPA) realizou-se em Santos na tarde do sábado (25) em Santos (SP).

Aproximadamente cem profissionais do setor de turismo estiveram presentes na quarta edição do SEHLIPA, evento que objetivou discutir os rumos do turismo regional no litoral paulista.

O tema central do IV SEHLIPA foi “Comunicação & Relações governamentais”. Para discutir sobre o turismo e a hospitalidade enquanto temas transversais foram convidados a palestrar profissionais e palestrantes expoentes em suas áreas de atuação.

As apresentações seguiram a seguinte ordem: Aristides Faria ministrou uma fala de abertura muito mais em tom pessoal que de conteúdo, em seguida, Marco Antônio Francisco levou à discussão a importância da percepção sistêmica e a importância dos espaços para participação societal. Marcelo Ficher encerrou o primeiro bloco de apresentações falando sobre relações públicas plenas.

Houve lançamento do livro “100 Anos de Relações Públicas no Brasil” durante o coffee break oferecido aos presentes.

O segundo bloco de apresentações foi composto pelas falas de João Paulo Pucciariello Perez sobre Políticas Públicas de fomento ao Empreendedorismo local e Bruno Orlandi sobre Aspectos Municipais da Segurança.

Logo em seguida foi formado o painel “Itanhaém 483 anos” composto pelo Vereador Cesinha (PP-SP), Marcelo Strama (PSB-SP) e Armando Zogbi (INTEV). As falas se concentraram em tendências e propostas para o desenvolvimento do turismo em nível regional.

É importante citar a presença ilustre do Secretário de Turismo de Santos, Luiz Dias Guimarães, do Secretário de Turismo do Estado de São Paulo, Roberto de Lucena, de Celina Linhares, Delegada de Turismo da Região Metropolitana da Baixada Santista e de Adalberto Ferreira da Silva, Diretor do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias do Estado de São Paulo.

A [RH em Hospitalidade], empresa promotora do SEHLIPA, anunciou que a sede da quinta edição do evento será o município de Itanhaém (SP). Como feito em anos anteriores, ao longo dos meses que separam as edições do evento, serão realizadas uma série de ações pré evento para lançar o projeto, cooptar parceiros e promover a apresentar os palestrantes selecionados ao mercado.

..:: Sobre o SEHLIPA ::..

O projeto do SEHLIPA foi criado e lançado no ano de 2011. A primeira edição do evento foi realizada no município do Guarujá (2012), o segundo Seminário aconteceu em Praia Grande (2013), a terceira edição do evento foi em São Paulo, em abril de 2014, e a quarta aconteceu em Santos (2015).

O público-alvo do projeto é composto por profissionais, empresários e autoridades atuantes no setor de turismo. O objetivo do SEHLIPA é criar espaço para relacionamento corporativo e geração oportunidades de negócios.

4.24.2015

Aristides Faria: Conhecimento que transforma!


Caros amigos,

Gostaria de compartilhar uma matéria sobre minha vida pós Seminário Empretec, que foi publicada no Jornal de Negócios do SEBRAE-SP (05/2015).

Estou muito feliz, primeiro, por ter conhecido pessoas excepcionais durante a semana do Seminário que realizei em janeiro deste ano em Santos (SP) e, depois, pelos incrementos que implementei em meu negócio e que foram brevemente retratados nessa publicação.

Naturalmente, esse processo é sem fim, ou seja, é apenas o primeiro passo no sentido de uma carreira plena. Estou contente, também, pois a [RH em Hospitalidade] foi um case sobre modelos de gestão apresentado durante a Semana do Empreendedor em outubro de 2013.

A matéria foi ao ar justamente na véspera da quarta edição do Seminário de Hospitalidade do Litoral Paulista (SEHLIPA), projeto que idealizei em 2011. Logo mais, às 14h00 do dia 25 de abril, será declarada a abertura do evento!

Essa publicação fecha um ciclo – e abre outro – consolidando um trabalho realizado com muito amor e dedicação. Os propósitos vão muito além do faturamento de meu negócio... e eu espero sinceramente que vocês possam compartilhar de meu sonho!

Um forte abraço!

Sucesso sempre,

Aristides Faria

4.22.2015

Itanhaém (SP) será tema de painel durante do IV SEHLIPA

A quarta edição do Seminário de Hospitalidade do Litoral Paulista (SEHLIPA) acontecerá em Santos (SP) com o propósito de discutir o futuro do turismo na região.

Seminário de Hospitalidade é um projeto itinerante, que acontece no litoral paulista desde 2012, quando a primeira edição do evento aconteceu no município do Guarujá. No ano seguinte o Seminário foi sediado em Praia Grande e em 2014 o SEHLIPA aconteceu na capital paulista.

Em sua quarta edição, o Seminário de Hospitalidade do Litoral Paulista será sediado em Santos, nas instalações do Mercure Santos Hotel, entre as 14h00 e 20h00, no próximo sábado (25).

São esperados cem participantes, entre empresários, profissionais e autoridades do setor. A cada edição o público participante tem contato com inovações na formatação do Seminário. Em 2015 a novidade será um painel composto por cinco profissionais expoentes em suas áreas de atuação.

O tema do painel será “Itanhaém 483 anos” em alusão ao aniversário do município. Em vista dessa data especial, o lema painel será “O melhor presente para Itanhaém é trabalharmos pelo futuro da cidade”.

A equipe da Tamoios Inteligência Geográfica mediará o painel de discussões sobre os rumos do turismo no litoral paulista, cujo objetivo é levar debater tendências e propostas para a dinamização do turismo regional, em especial da cidade de Itanhaém, localizada ao Sul da Região Metropolitana da Baixada Santista.

..:: Sobre o SEHLIPA ::..

O projeto do SEHLIPA foi criado e lançado no ano de 2011. A primeira edição do evento foi realizada no município do Guarujá (2012), o segundo Seminário aconteceu em Praia Grande (2013) e a terceira edição do evento foi em São Paulo, em abril de 2014.

O público-alvo do projeto é composto por profissionais, empresários e autoridades atuantes no setor de turismo. O objetivo do SEHLIPA é criar espaço para relacionamento corporativo e geração oportunidades de negócios.

Informações: sehlipa.com | sehlipa.blogspot.com | facebook.com/sehlipa | twitter.com/sehlipa | instagram.com/sehlipa | app.vc/sehlipa

..:: Serviço ::..

Seminário de Hospitalidade | Santos 2015
Data: 25 de abril (sábado)
Horário: 14h00 às 20h00
Local: Mercure Santos Hotel (Av. Dr. Washington Luiz, 565)

Inscrições gratuitas: goo.gl/tjOlGj

4.20.2015

RH em Hospitalidade promove IV SEHLIPA no próximo sábado (25) em Santos (SP)


Empresários, profissionais e autoridades públicas se reunirão em Santos (SP) para discutir tendências e propostas para o turismo do litoral paulista. Evento acontece no sábado (25) entre as 14h00 e 20h00.

Santos (SP) sediará a quarta edição do Seminário de Hospitalidade do Litoral Paulista (SEHLIPA), cujo tema central será “Comunicação & Relações governamentais”. O evento será realizado nas instalações do Mercure Santos Hotel no próximo dia 25 de abril (sábado), entre as 14h00 e 20h00.

O SEHLIPA é realizado desde 2012 e tem reunido anualmente empresários, profissionais e autoridades públicas ligadas ao turismo no estado de São Paulo. O projeto é uma ação da [RH em Hospitalidade], empresa de consultoria em Educação Corporativa com foco no setor de Serviços sediada em Santos.

Aristides Faria, Consultor e Palestrante da [RH], é idealizador e promotor do SEHLIPA. Faria ministrará a palestra de abertura do Seminário, apresentando o tema “a ação governamental pode dinamizar o turismo regional”.

O evento seguirá a seguinte programação:

14h00: Abertura solene

1° bloco de apresentações: Aristides Faria (A ação governamental pode dinamizar o turismo regional); Marco Antônio Francisco (Articulação & Integração nas relações institucionais); e Marcelo Ficher (Relações Públicas Plenas: Transparência na Comunicação Governamental).

15h45: Coffee break e lançamento do livro 100 Anos de Relações Públicas no Brasil

2° bloco de apresentações: João Paulo Pucciariello Perez (Políticas Públicas de fomento ao Empreendedorismo local); e Bruno Orlandi (Aspectos Municipais da Segurança).

17h15: Painel “Itanhaém 483 anos”

Coordenação: Tamoios Inteligência Geográfica. Painelistas: Cesar Augusto de Souza Ferreira (PP-SP), Vereador na Câmara Municipal de Itanhaém, Marcelo Strama (PSB-SP), empresário e Vereador local entre 2005 e 2008, e Armando Zogbi, presidente do Instituto Tecnológico de Eventos (INTEV), entidade co-realizadora do SEHLIPA.

Em vista do 483° aniversário de Itanhaém, o lema escolhido para esse painel foi “O melhor presente para Itanhaém é trabalharmos pelo futuro da cidade”.

19h00: Encerramento e Coquetel de confraternização

..:: Serviço ::..

Seminário de Hospitalidade | Santos 2015
Data: 25 de abril (sábado)
Horário: 14h00 às 20h00
Local: Mercure Santos Hotel (Av. Dr. Washington Luiz, 565)


Inscrições gratuitas: goo.gl/tjOlGj


4.14.2015

Mobilização política contra a inoperância na gestão pública do turismo


Por: Aristides Faria

Entre os dias 02 de agosto e 05 de outubro de 2014 – data do pleito eleitoral nacional – dediquei-me a realização de um projeto intitulado “Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista” (www.facebook.com/agendapropositivadoturismo).

O amigo leitor deve saber que sou morador de Santos, cidade localizada no litoral de São Paulo. A cidade é sede da Região Metropolitana da Baixada Santista, região administrativa composta ainda pelos municípios de Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande e São Vicente.

Essa ação é autônoma, apartidário e foi financiada desde seu início pela [RH em Hospitalidade], minha pequena empresa de consultoria em Educação Corporativa com foco no setor de Serviços.

O que me motivou a liderar essa ação foi o contato prévio com um candidato a deputado estadual. Esse contato se desvirtuou e, naturalmente, enquanto empresa, segui com o plano e desde outubro de 2014, ao invés de propostas de governo para o turismo regional, temos um dossiê sobre o descaso e a inoperância que tomam conta do setor – ou não tomam conta, não é mesmo?

O projeto foi organizado em três etapas concomitantes: pesquisa de opinião pública, visitas técnicas aos municípios da região e reuniões técnicas e temáticas com profissionais do setor. Com o cumprimento dessas etapas, elaborei um documento que foi apresentado publicamente em três ocasiões, sendo uma em Santos, uma em Itanhaém e outra em Diadema.

Além disso, importa citar, que paralelamente criei uma petição pública (http://goo.gl/xPhhqb) e uma proposta de alteração da legislação estadual no que compete a nomeação dos “Delegados Regionais de Turismo”, de modo que possam ser estabelecidos critérios técnicos para a contratação desses profissionais.

Historicamente esse cargo tem sido ocupado por agentes políticos, que não parecem se ocupar de trabalho em prol do desenvolvimento do turismo regional. Lastimável. Com base em uma pesquisa de intenções de votos, fiz uma leitura das propostas de governo – quando existiam – dos três primeiros colocados na corrida pelos cargos de deputados estaduais e federais pela região. Resultado inócuo. Nenhum deles fala sobre o fomento ao setor.

Para amplificar ainda mais os resultados alcançados por esse projeto, determinei como tema central da quarta edição do Seminário de Hospitalidade do Litoral Paulista (SEHLIPA) o seguinte tópico “Comunicação & Relações governamentais”.

Já enquanto desdobramento desse trabalho, informo que aproximei meus estudos de mestrado do tema. Esse projeto irá gerar frutos muito além do período eleitoral, que, no final das contas, é o mote de toda minha indignação com a inércia na qual se encontra nosso mercado nas cidades da Baixada Santista.

Espero, de algum modo, ter contribuído para mobilizar os profissionais do setor no sentido de agregar pessoas e ideias em torno de propostas efetivas para o fortalecimento dessa relevante atividade econômica.

-


Esse conteúdo é parte do projeto “Agenda Propositiva do Turismo” (www.facebook.com/agendapropositivadoturismo), ação autônoma, apartidária e financiada pela [RH em Hospitalidade], entre agosto e novembro de 2014. Os resultados finais do projeto originaram o IV Seminário de Hospitalidade do Litoral Paulista, realizado em Santos, em abril de 2015 (www.sehlipa.com).

4.06.2015

O Brasil será para sempre o país do futuro?

Por: Aristides Faria

Meu objetivo nesse artigo é convidar ao amigo leitor que reflita sobre as condições para o aumento da competitividade do Brasil no mercado internacional. Como brasileiro, pergunto-me se seremos sempre o país do futuro? Refiro-me a um futuro que nunca chegou. Chegará?

Desde 2005, o World Economic Forum (WEF) publica relatórios sobre a competitividade das nações em nível global. O principal documento editado pelo organismo é o Global Competitiveness Report (GCR), que é uma ferramenta desenvolvida para aferir as bases micro e macroeconômicas da competitividade das nações. Nesse documento são analisados índices setoriais.

Afinal, o que é essa tal “competitividade”? O WEF a define como o “conjunto de instituições, políticas e fatores que determinam o nível de produtividade de país”.

Passada a recente crise econômica mundial, cujo pico ocorreu ao longo do ano de 2008, conforme as economias começaram a se restabelecerem, Estados Unidos, Japão e Reino Unido passaram por criaram políticas de regulação monetária com “aperto” das condições financeiras, o que impactaram tanto economias avançadas quanto aquelas emergentes.

Esse período de depressão econômica parece ter despertado as nações para o fato de que as agendas econômica e social têm de caminhar juntas, em harmonia, com foco em reformas e mudanças que compensarão essas mesmas nações com melhores níveis de produtividade com a abertura de novas e melhores oportunidades de emprego para todos os segmentos da população.

Atualmente, o cenário predominante é o de que as economias emergentes terão crescimento mais modesto em relação ao passado recente. Após alguns anos de bom desempenho, liderando o crescimento mundial, sua performance poderá ser afetada por mudanças no ambiente, caracterizadas pelo aumento da dificuldade de acesso ao crédito assim como pela diminuição dos preços das commodities no mercado internacional, que alimentou o crescimento desses países no passado – um cenário que também afeta diversas nações em desenvolvimento.

De acordo com o WEF, instituições sólidas, talentos humanos disponíveis e alta capacidade para inovar são a chave para o sucesso de qualquer economia; e esses elementos serão cada vez mais essenciais no futuro.

Diante desse rápido e superficial apanhado sobre o GCR 2014-2015, reforço a questão que lancei no título desse artigo: O Brasil será para sempre o país do futuro? Eu espero sinceramente que não, ou seja, que esse futuro torne-se presente em muito breve e que possamos dar vida a herança que graciosamente recebemos!

Referência

WORLD ECONOMIC FORUM. Global Competitiveness Report 2014-2015. Genebra, 2014. Disponível em: < http://www3.weforum.org/docs/WEF_GlobalCompetitivenessReport_2014-15.pdf >. Acesso em: 10 de março de 2015.