Translate this blog

Pesquisar este blog

9.13.2013

Alckmin diz que Aécio tem apoio do PSDB-SP, mas evita posição pessoal


..:: Por: Marcos da Moura e Souza | Valor Online

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) pode contar com o apoio do PSDB paulista em seus planos de ser o candidato do partido à Presidência da República no ano que vem. Indagado, ao fim de uma cerimônia no interior de Minas, se já podia contar com o apoio do PSDB de São Paulo, o senador mineiro não teve oportunidade de responder. O governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), que estava ao seu lado e era o principal convidado da cerimônia, respondeu aos repórteres: "Pode, pode".

Alckmin, no entanto, evitou declarar apoio pessoal ao presidenciável mineiro. Questionado duas vezes por repórteres se sua vinda a Diamantina era um sinal de apoio a Aécio em 2014, o governador não respondeu. Disse apenas que considera o colega um "grande governante", "preparado para grandes desafios" e com "vocação política".

Sobre o ex-governador de São Paulo José Serra, que tem dito ter interesse em disputar novamente a Presidência no ano que vem, Alckmin o elogiou como um "grande quadro, grande prefeito, grande governador".

Minutos antes, em pronunciamento na cerimônia de entrega da medalha Juscelino Kubitschek, Alckmin comparou Aécio e o governador Antonio Anastasia ao presidente JK - que nasceu em Diamantina em 1902. Disse que ambos "personificam com exatidão o cerne do legado do presidente JK". E entre as várias aparentes menções à disputa do ano que vem, Alckmin disse que o Brasil "continua contando com Minas, porque Minas é uma usina de planejadores".

Embora tenha evitado declarar apoio pessoal a Aécio, sua vinda foi interpretada por tucanos mineiros como o sinal claro de alinhamento. O presidente do PSDB de Minas, o deputado federal Marcus Pestana, lembrou que política muitas vezes é feita mais com gestos do que com palavras.

Um exemplo foi a aproximação ao PP, expressa com a entrega da Grande Medalha ao presidente da sigla e senador Ciro Nogueira (PI), presenciada por outro pepista, o deputado federal Esperidião Amin (SC). O PSDB tenta atrair o apoio do PP para a candidatura presidencial de Aécio. O PP faz parte da base aliada do governo federal, mas em Minas Gerais compõe a aliança do governador Anastasia.

Sem citar a administração da presidente Dilma Rousseff, Alckmin disse que não se planeja com base em "slogans", "filmes" e "siglas de ficção". "Entre os atributos que lhes são comuns, JK, Aécio e Anastasia têm consciência da enormidade dos desafios que a vida pública lhes colocam à frente. Desafios estes que nunca são e nunca serão transpostos por ludibriadores produtos de marquetagem".

Aécio, após o evento, comentou: "Não estamos ainda falando de candidaturas, mas não tenho dúvidas de que o sentimento de São Paulo é o mesmo sentimento de Minas, por mudanças, por governos que olhem mais para o futuro, menos para o marketing, para os slogans, como disse o governador Geraldo Alckmin".
Postar um comentário