Translate this blog

Pesquisar este blog

9.20.2010

Estou no mercado. E agora?



Por: Marcelo Cuellar - Na Mira do Headhunter

Em primeiro lugar você precisa saber que ser demitido ou ficar desempregado não é bacana nem agradável, mas é comum. O que quero dizer com isto é que ficar sem emprego acontece aos melhores profissionais e nas carreiras mais brilhantes.

Por isto, NÃO SE DESESPERE e não ache que você é incompetente ou foque energias em achar culpados ou possíveis erros que você não tem certeza se foram cometidos. Parta para ação.

Abaixo seguem algumas das dúvidas mais comuns existentes neste momento e como encaro cada uma delas:

1) Como abordo minha saída da empresa em uma entrevista?

Com a verdade, somente com ela. Até porque referências tiradas posteriormente poderão te colocar em uma situação ruim caso suas informações não sejam verdadeiras.

2) Qual é a maneira mais assertiva e bem-sucedida de buscar uma recolocação?
Guarde sempre uma regra: quando falamos de carreira não existem regras fixas nem leis universais. Muitos profissionais ao ficarem no mercado preferem esconder esta verdade por vergonha ou por acharem que isto pode de alguma maneira diminuí-los profissionalmente. Mas isto é um erro!! Sua próxima colocação poderá ser feita por meio de uma consultoria de headhunters, linked in, indicação, amigos, parentes, vizinhos, etc. Por esta razão é importante você deixar o maior número de canais informados da sua busca por uma nova posição.
3) Qual é o tempo médio que um bom profissional fica desempregado?

Lembra da regra que falei acima? Não existe esta resposta. Lembre-se que para quem está acostumado a uma rotina puxada de executivo ficar no mercado por 1 ou 2 meses pode parecer 1 ano. Por isto acalme-se e foque suas energias em ações que possam gerar resultados e não na preocupação.

4) Quanto tempo posso ficar no mercado sem me prejudicar profissionalmente?

Não existe verdade absoluta. O importante é que quanto maior for o período, mais detalhada será a justificativa que você terá que dar à pergunta: “o que você tem feito neste tempo que está em transição de carreira?”

Algumas mulheres podem ter optado por ver o filho recém nascido completar o primeiro ano de idade; outros podem ter experimentado abrir o próprio negócio e verificado que preferem o mundo corporativo. E não há nada de errado nisto. Com certeza estes profissionais tiveram aprendizados e estes precisam ser apresentados ao headhunter no momento da entrevista.

5) Não tinha nenhuma proposta em mãos. Agora – de repente – tenho 3 ao mesmo tempo. Como decidir?

É natural que isto aconteça. Quando você inicia sua busca no mercado, faz diversos contatos que tendem a ter um tempo de resposta parecido. É aí que então as propostas ocorrem todas muito concomitantemente.

Para decidir, reflita no que você de fato quer como próxima oportunidade profissional (vale à pena dar uma olhada neste post aqui ).

Ficar desempregado mesmo quando o mercado está bastante aquecido, não significa que você é menos qualificado que os demais profissionais empregados. Há diversas variáveis envolvidas em um desligamento, não apenas competência.

E estar empregado também não significa somente ter um trabalho em uma grande empresa com carteira assinada! O Brasil vive um excelente momento de crescimento em diversos segmentos e oportunidades não faltam: aproveite este momento e BOA SORTE!!

Postar um comentário