Translate this blog

Pesquisar este blog

3.13.2010

Teixeira Duarte cresce 46% no Brasil

Grupo português de construção somou volume de negócios de 78,2 milhões de euros no mercado brasileiro no ano passado.

A Teixeira Duarte aumentou em 46,4% o seu volume de negócios no mercado brasileiro no ano passado. O grupo português de construção aumentou o volume de negócios no Brasil de 53,4 milhões de euros em 2008 para 78,2 milhões de euros em 2009, revela o relatório de resultados da Teixeira Duarte.

O Brasil foi um dos mercados que mais cresceram na lista de países onde a Teixeira Duarte está presente. Em Portugal o volume de negócios da Teixeira Duarte recuou 10,2%, para 497 milhões de euros. Na Argélia caiu 24,7%, para 101,7 milhões. Em Angola, pelo contrário, a Teixeira Duarte cresceu 11,4%, somando vendas de 495,7 milhões.
Em mercados de menor expressão para o grupo português a Teixeira Duarte registou crescimentos de 8,6% em Espanha e 105% em Moçambique. Marrocos, Ucrânia e Venezuela tiveram quedas de dois dígitos.
Outra rubrica onde o Brasil desempenha um papel relevante na actividade do grupo é o endividamento, que cresceu no ano passado, passando de 3,18 mil milhões de euros para 3,51 mil milhões. Um acréscimo "essencialmente em resultado do investimento no Lagoas Park e no Hospital de Cascais, bem como nas actividades em desenvolvimento em Angola e no Brasil", explica a Teixeira Duarte.

..:: Grupo passou de prejuízo a lucro ::..

Em 2009 a Teixeira Duarte teve um lucro de 116,6 milhões de euros, que compara com o prejuízo de 347,2 milhões de euros no ano anterior.

Os proveitos operacionais ficaram estáveis, apenas com ligeiro crescimento de 0,6%, para 1,38 mil milhões de euros. Já os custos operacionais desceram 1,2%, para 1,17 mil milhões de euros. Dessa forma, o grupo melhorou o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) de 187,8 milhões de euros em 2008 para 209,7 milhões em 2009.

Na receita do grupo português a construção apresentava no final do ano passado um peso de 55%. Os restantes 45% estão dispersos por sete outras actividades, como imobiliário (11%), comércio de automóveis (9%), comércio alimentar (8%), venda de combustíveis (7%), hotelaria (6%), concessões (3%) e cimentos (1%).

..:: Fonte: Portugal Digital: Informação e Comunicação Empresarial Luso-Brasileira

Postar um comentário