Translate this blog

Pesquisar este blog

3.06.2010

IBELG ::: Estudos & Pesquisas ::: O que esperar de 2010

Por: Marco Aurélio Bedê - Instituto Brasileiro de Excelência em Liderança e Gestão (IBELG)

"De acordo com a mais recente estimativa do FMI, a economia mundial registrou no ano passado o pior desempenho das últimas 3 décadas em termos de taxa de crescimento, com queda de 0,8% no PIB mundial. Esse péssimo indicador é um resultado da crise financeira internacional, cujo estopim foi a quebra do Lehman Brothers, em fins de 2008.

Passado o período de maior turbulência (2008/2009), poderíamos nos perguntar, a crise de fato acabou? O que vem a seguir? Qual a situação do Brasil? O que devemos esperar de 2010? E para os próximos cinco anos? E o que nos aguarda até 2.020?

Essas são algumas das questões que são abordadas pelas palestras oferecidas pelo IBELG, e cuja análise vamos aqui sumarizar, com maior foco no ano de 2010.

Ainda é cedo para afirmar categoricamente que a crise acabou. Os principais elementos que levaram à crise continuam presentes. O sistema financeiro norte-americano e europeu foram “saneados” apenas parcialmente. Graças à ajuda bilionária dos governos dos países desenvolvidos conseguiu-se evitar o colapso do sistema financeiro internacional. Porém, os bancos dos países desenvolvidos continuam mal das pernas, com prejuízos elevados, fruto de aplicações elevadas em ativos de elevado risco, que não são tão fáceis se desfazer.

Além disso, os elevados níveis de desemprego em países como Estados Unidos e na Zona do Euro tendem a retardar a recuperação mundial. Para se ter uma idéia do problema, só no último mês quase 2 milhões de pessoas solicitaram seguro desemprego nos Estados Unidos. Por outro lado, na China se verifica situação inversa: o governo retirando as medidas de apoio à economia, visto que aquele país entrou em 2010 já em forte ritmo de crescimento. No entanto, são poucos os países nessa situação, e a maioria deles ainda deve demorar a apresentar taxas de crescimento mais robustas."

..:: Artigo completo: IBELG » Estudos & Pesquisas

Postar um comentário