Translate this blog

Pesquisar este blog

9.27.2009

AdC: Desenvolvimento turístico em Cubatão (SP)

Autor: Aristides Faria Lopes dos Santos. Consultor Independente na área de RH. Professor. Diretor de Comunicação da ABBTUR São Paulo. Bacharel em Turismo (UNISUL) e Especialista em Gestão de Recursos Humanos (UFSC). Contato: aristidesfaria@yahoo.com.br

Resumo do artigo publicado nos anais do V Fórum de Turismo do Espírito Santo, acontecido em Vitória (ES), em 2008.

RESUMO
Objetivo da pesquisa: analisar as condições de implementação de projetos turísticos no município de Cubatão (SP). Objetivos específicos: investigar/explicitar oportunidades de desenvolvimento turístico que poderiam envolver diretamente as empresas do pólo industrial do município; instigar a iniciativa privada a fomentar projetos ligados a práticas turísticas ligadas à natureza; auxiliar a cooptação da população local/regional no processo de apropriação dos espaços naturais. Caracterização: localiza-se na Região Metropolitana da Baixada Santista (RMBS), aos “pés” da Serra do Mar. Intervenção: Acredita-se haver meios para promover o desenvolvimento sustentável do turismo nesta localidade com base nos potenciais: ambiental [rios planos, navegáveis e com quedas d’água] e científico [maior pólo industrial da América Latina]. Demanda local: A degradação social tem provocado constantes e volumosas invasões aos limites do Parque Estadual da Serra do Mar, assim deve-se observar a profunda necessidade de inserir a comunidade local em programas voltados ao turismo. Metodologia de pesquisa: utilizou-se de bibliografia pertinente, publicações periódicas e da rede mundial de computadores. Esta pesquisa caracteriza-se como qualitativa e utiliza-se da análise documental como técnica de investigação. Resultados: percebeu-se que, devido à magnitude do setor industrial, as possibilidades de Turismo Científico são ignoradas; que, motivada pela grave problemática habitacional, a “cidade” está aproximando-se dos atrativos naturais, inviabilizando as atividades de turismo; e que a evasão de divisas e a baixa auto-estima da população local agravam os processos de degradação social, tornando o fortalecimento do comércio e a instalação de serviços receptivos mais difícil. Esta última verificação é constatada com a instalação do projeto “Caminhos do Mar: pólo ecoturístico”, que tem base operacional no planalto e não em Cubatão.

Demais autores: Paula Nora e Bianca Pugen, Mestres em Turismo pela Universidade de Caxias do Sul (RS).
Postar um comentário