Translate this blog

Pesquisar este blog

8.20.2009

O que será que sente um RH na trajetória da sua carreira?

Por: Patrícia BispoRH.com.br

Simpatia e disposição de sempre aprender algo a mais, a cada dia. Essas são apenas algumas das características de Nádia Menezes, gerente corporativa de Pessoas da Brasal Refrigerantes - empresa que representa a Coca-Cola e a Femsa no Distrito Federal, Sudeste e Nordeste de Goiás, Noroeste de Minas e Sul do Tocantins. Ela iniciou a vida profissional há 17 anos, na rede bancária, e já naquela ocasião sentiu que seu futuro estava diretamente relacionado a trabalhar com gestão de pessoas. O reconhecimento pelo seu trabalho surgiu naturalmente junto aos colegas de trabalho, à empresa e, recentemente, foi vencedora do concurso: Gestor de RH mais admirado do Sistema Coca-Cola Brasil.

Em entrevista concedida ao RH.com.br, Nádia Menezes conta como foi sua trajetória, o que a estimula a atuar na área, como também sobre um pouco de sua gestão diante da Brasal, empresa que ela considera como parte da sua vida, desde quando era criança. A história dessa profissional de Recursos Humanos é, no mínimo, um estímulo para quem já atua na área ou deseja ingressar no caminho de gerir pessoas como diferenciais significativos. Aproveite a leitura!



RH.COM.BR - Há quanto tempo a Sra. ingressou na área de Recursos Humanos e como isso ocorreu?

Nádia Menezes - Iniciei minha vida profissional na rede bancária e, costumo dizer que já estava predestinada a atuar em RH. Isso foi há 17 anos e já naquela época, mesmo como escrituraria, já cuidava de tudo que dizia respeito à área pessoal na unidade, onde trabalhava, encaminhando e recebendo da matriz documentos relativos à contrato de trabalho, controle de ponto, movimentos para folha de pagamento, treinamento, entre outras atividades. Em seguida, atuei em uma empresa de tecnologia, agora já diretamente na área de Relações do Trabalho. Nesta empresa e tendo me formado em Administração de Empresas acredito, desenvolvi um grande diferencial competitivo em RH: entender de números, de negócio e do quanto as pessoas fazem a diferença, sobretudo, quando se tem como estratégia de negócio a excelente prestação de serviços. Sem as pessoas e sem ter claramente a noção do quanto elas influenciam o negócio, como profissional de RH eu não teria ido muito longe. Em seguida, trabalhei em um grande grupo econômico de nossa região, a Brasal, e comecei exatamente pela área de Relações do Trabalho. O caminho foi longo, desafiador, mas muito gratificante. Assumi, em seguida, os processos de desenvolvimento, recrutamento e seleção e treinamento, e, daí para frente, foi só construção. Implantamos políticas e práticas de remuneração, de avaliação de desempenho, de gestão por competência, entre outros processos. Aprendi e aprendo todos os dias. Hoje, estou aqui como Gerente Corporativa de RH, atuando contributivamente para que nossas empresas alcancem os melhores resultados. Atuar em RH é ter a certeza de que o que sei e fiz até agora só me trouxeram até aqui. Amanhã é outro dia e a construção desse amanhã eu necessariamente comecei ontem.

..:: Confira a entrevista na íntegra no Portal RH.com.br
Postar um comentário