Translate this blog

Pesquisar este blog

5.06.2009

Além dos investimentos: na carreira, também é essencial saber lidar com riscos

Por: Flávia Furlan Nunes - InfoMoney

No mundo dos investimentos, o risco está atrelado a ganhos. O importante é saber se expor adequadamente, sem comprometer o patrimônio. Quem adota uma postura conservadora muitas vezes está abrindo mão de ganhos maiores. Já quem arrisca demais pode perder até mesmo o que não tinha.

Na carreira, não é diferente. As pessoas têm de saber quando dar um passo mais ousado, em busca de crescimento profissional. Elas também precisam conhecer o momento de ficar na retaguarda, a ponto de não arriscarem seu futuro.

Zona de conforto

De acordo com guia lançado pela Robert Half, com base em estudos realizados pela consultoria, fazer somente o que é seguro nem sempre é a melhor atitude. "As fórmulas já conhecidas e comprovadas de fazer as coisas podem ser reconfortantes. Assuma riscos calculados e abra novos caminhos, ou perderá rapidamente suas vantagens competitivas", diz a consultoria.

Para isso, é preciso ter informações suficientes, e a consultoria completa: "se você erra continuamente o alvo em um projeto pode ser porque não possui toda as peças do quebra-cabeça. Colete informações adicionais e converse com fontes externas para obter uma nova perspectiva e repensar sua estratégia".

Liderança na crise

No guia lançado pela Robert Half, a consultoria explica quais são os riscos que o gestor corre durante o momento de turbulência. São atitudes que se toma, mas que não são positivas. Elas têm relação com a inovação e a capacidade de gerenciamento da adversidade. Confira abaixo quais são e como lidar com elas:
Reprimir o pensamento crítico: perguntas difíceis precisam ser feitas, principalmente diante de um momento desafiador. Recompense quem levanta dúvidas e oferece soluções factíveis;

Construir bloqueios à criatividade: se o trabalho de um funcionário não parece estar muito inspirado, tente mudar a carga de trabalho dele ou solicitar ajuda externa, para que ele possa ter mais tempo para desenvolver novas ideias;

Fechar-se para o que é novo: se as sugestões forem rejeitadas sem nenhuma real discussão, as pessoas deixam de apresentá-las. Por isso, é importante incentivar os profissionais, de qualquer nível;

Esperar a crise para fazer mudanças: se tiver uma boa ideia, não espere a crise para expô-la ou implementá-la. Você sairá à frente da concorrência ao dar um primeiro passo agora.
Postar um comentário