Translate this blog

Pesquisar este blog

4.08.2009

Experiências em EaD: Proteção ambiental e o turismo

Por: Aristides Faria

Acontece hoje (08/04) um palestra gratuita pelo Portal Educação sobre o tema “proteção ambiental e o turismo”.

Aristides Faria: Trata-se de um assunto no qual atuei no começo de minha carreira e, de um modo paralelo, venho trabalhando ainda hoje, depois de dez anos.

Há muitas diferenças na percepção do público quando ao assunto. Vamos a algumas delas:

Em 2000, a gente era visto como “eco-chatos”, hoje está na moda e é chick ser sustentável;

Nossas ações nas praias de Florianópolis (SC) eram vistas como oportunistas e escandalosas, hoje brotam ONG’s e OSCIP’s, inclusive ligadas às mais variadas entidades, para trabalhar com gestão ambiental;

No começo de minha carreira, as discussões sobre “o que diabos era o tal Ecoturismo” e que coisa era o Turismo Sustentável, o Turismo Ecológico e todos seus homônimos. Essas dúvidas parecem ter cessado de um certo modo e podemos ver boas práticas funcionando, definitivamente, no mercado;

Em 2000 eu investia toda energia neste segmento, contudo a vida me encaminhou para um outro lado, o empresarial, o RH e o da formação profissional. 2007: empreendi na área de RH e sou professor, além de ministrar treinamentos... mas, assim como as pedras da cachoeira que foram separadas na cabeceira de um rio encontram-se após a cachoeira, estou voltando para a natureza... saibam mais sobre nosso “Treinamento EcoEmpresarial ao ar livre”;

Neste meio tempo surgiu o Protocolo de Kyoto e a Conferência Rio+10, além do Tsunami, da tragédia catarinense em novembro de 2008 e outros acontecimentos ligados ao tema;

A Educação Ambiental está aos poucos envolvendo todas as disciplinas de todos níveis de educação, chegando – como no referido evento – ao ambiente virtual. Há, inclusive, jogos que incentivam a conservação ambiental e ensinam como usar de modo racional os recursos naturais disponíveis.


Aonde quero chegar? Jamais desista de suas convicções. Hoje, vejo que todo o aprendizado e as portas fechadas naquele tempo foram válidas e muito convenientes ao nosso momento atual.

Lucas Siqueira: Ainda hoje muitas empresas se utilizam do termo “eco” – afinal é algo que está na moda, é vendável e “marketeiro” – e o mercado adora modismos. Seria muito bom se estas empresas fossem verdadeiramente “eco”, ou seja, que cuidassem da casa (oikos) onde a família planetária (con)vive.

A ecologia é uma ciência que estuda a relação entre os seres vivos e os habitats em que vivem. Ao utilizar o termo “eco”, torna-se necessário que exista compromisso com as relações existentes nas atividades desenvolvidas – e vendidas. Neste sentido, a educação ambiental é um dos vetores para garantir esse equilíbrio entre as relações. Do contrário, empresas, profissionais e até mesmo visitantes participarão do que é chamado de “eco-oportunismo” e “eco-parasitismo”.

Utilizar o termo “eco” sem estudos preliminares que justifiquem essa utilização é muito prejudicial para o ambiente, especialmente em atividades turísticas, em que se opera o consumo do espaço natural. Esta atitude equivocada, que só contempla o lucro e a obtenção de resultados em curto prazo, tem grande capacidade de explorar à exaustão os recursos, que são necessários para assegurar atratividade e singularidade ao local. Muitas empresas não são capazes nem de recolher o lixo que produzem a durante a visitação!

Outra questão que deve receber uma atenção especial: apenas contemplação e fruição da natureza não garantem a proteção ambiental que muitas empresas dizem fazer. É necessário modificar a percepção do cliente e estimular também uma mudança em seu comportamento por meio de bases sólidas de Educação Ambiental (À distância? Por quê não?).

Participem deste web evento! Vale a pena: Portal Educação!

Conheça também a proposta de Educação à Distância e o Ambiente Virtual de Aprendizagem do [RH em Hospitalidade]!
Postar um comentário