Translate this blog

Pesquisar este blog

3.31.2009

Questão de Ponto de Vista

Por: Sandra Boteguim. Mestranda em Economia, professora de Moedas e Bancos, 35 anos de experiência em instituições financeiras e administradora da Agropecuária Urucurana – Fazenda Paulista.

Outro dia, recebi um e-mail sobre um cachorro genial que saiu de casa, comprou carne, pegou um ônibus, mas ao chegar em casa e bater na porta, o dono chama duramente a sua atenção. Um observador ao ver a cena, chama o homem e diz:
- "Pare com isso, esse cachorro é um gênio"!
E o homem responde:
- "Que gênio que nada, é a segunda vez esta semana que ele esquece a chave...
Assim o e-mail conclui: "Por mais que você faça sempre haverá um idiota que achará que você está abaixo do esperado"!

Muitos já devem ter visto o mesmo e-mail, uma vez que a internet favorece que as mensagens circulem tantas vezes que até passam a parecer verdades. Entretanto, essa mensagem apócrifa me vez pensar que tudo é uma questão de ponto de vista.

Vejamos, a partir do nascimento de uma criança surgem incontáveis oportunidades de comemoração. Todos nós já tivemos a satisfação de ver quando pela primeira vez conseguem erguer a cabeça, depois quando conseguem engatinhar e depois quando dão seus primeiros passos. Todos os adultos ao seu redor festejam, comemoram e dão todo incentivo para que ela tente novamente. Logicamente, nos primeiros passos a criança sempre acaba caindo e lembrando-se que já tinha adquirido muita experiência em engatinhar, volta a ficar de quatro.

Pois é! Vamos nos colocar no lugar dessa criança que viu todos festejarem porque conseguiu engatinhar e que agora só porque deu uns pequenos passos tortos e pouco seqüenciais, quando volta a engatinhar, os mesmos adultos, lhe dizem: "Não! Fique de pé! Tente andar, você vai conseguir!"

Nesse momento a criança que ainda não fala, se pudesse se expressar diria: “Ué, como pode ser possível que esse pessoal tenha festejado quando mal engatinhava, e não percebem que agora sou uma experiente engatinhadora e querem que eu me machuque caindo a cada 2 ou 3 passinhos?”.

Agora vamos imaginar que coisa mais ridícula seria se cada vez que o filho já adulto caminhasse, todos dissessem: "Olhe que gracinha, anda perfeitamente!"

Como é que a criança começou a andar, falar, comer sozinha, ler, escrever, assumir responsabilidades, trabalhar... enfim tornar-se um adulto? Foi a partir do momento que os pais a incentivaram porque acreditavam que ela era capaz de fazer muito mais do que ela mesma imaginava!

Cada etapa da vida superada no instante da superação é muito importante e deve ser muito comemorada, mas no momento seguinte deixa de chamar a atenção e devem fazer emergir novas expectativas de superação. Fazer o que foi feito ontem, não é mérito nenhum. É obrigação. Ainda bem que existem pessoas que acreditam que somos capazes de fazer muito mais do que o que já fizemos, pois é somente assim que progredimos, nos superamos e conseguimos fazer coisas que nem imaginávamos!

É perfeitamente natural que queiramos ficar na nossa “zona de conforto” fazendo as coisas que já temos muita habilidade, que dominamos perfeitamente e que não exijam novo aprendizado, erros, acompanhamento e obviamente... frustrações. No momento em que nos contentamos com o que já sabemos perdemos a oportunidade de progredir, de seguir adiante e descobrir toda a nossa potencialidade e conseqüentemente a felicidade de novas... realizações.

Não discutir opiniões, não mudar de idéia, não fazer algo novo significa parar no tempo. Parar de aprender é equivalente a retroceder. Exceder expectativas é superação diária. É fazer algo novo sempre! Gradativo. Passo a Passo. O que foi feito ontem já é passado. O futuro é o que importa.

Nada é mais frustrante do que se relacionar com pessoas que duvidam da nossa capacidade e passam a checar cada tarefa feita, embora já a façamos há muito tempo e sempre corretamente. Qual a frustração de alguém que precisa conferir uma atividade que embora feita regularmente ainda não atingiu um ponto de qualidade que dispense uma supervisão direta?

É uma dádiva quando encontramos alguém que nos desafia! Que nos mostra que podemos fazer melhor ou até que duvide que sejamos capazes de seguir adiante, são pessoas que não nos permitem parar e nos fazem superar todas as novidades de cada etapa da vida. Portanto, ao invés de evitar desafios, devemos procurá-los. Se seus objetivos parecem já terem sido alcançados, imponha-se objetivos maiores. Ao contrário da conclusão do e-mail, creio que contentar-se com o que já foi feito é que é coisa de idiotas!

"O homem progride, estranhamente, somente perante a um ambiente desafiador". L. Ron Hubbard.
Postar um comentário