Translate this blog

Pesquisar este blog

12.04.2008

ABIH SC: Ação institucional é exemplo de profissionalis e humanidade

Por: Fernando Chirotto - Hôtelier News

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina (ABIH-SC) inicia na próxima semana uma ação solidária criada para ajudar cerca de 60 colaboradores que tiveram suas casas destruídas pelas chuvas e desmoronamentos no estado.

"Faremos um leilão em que mais de 1 mil diárias serão doadas. Do valor total, 70% serão revertidos para a reconstrução das casas de colaboradores e 30%, destinados à Defesa Civil. Acredito que a repercussão desta ação será muito benéfica", afirma Wilson Luiz de Macedo, presidente da entidade.

Além disso, o presidente também emitiu uma nota oficial sobre a tragédia ocorrida na qual propõe ações e medidas para minimizar os efeitos da calamidade. "No momento, devido à gravidade da situação e ao estado emocional das pessoas, recomenda-se muita calma e ponderação. A ansiedade pode levar a decisões precipitadas que nem sempre são as melhores. Aqueles empreendimentos que receberem solicitação de cancelamento podem pedir aos seus clientes, em nome da solidariedade, que aguardem uma semana para que possamos nos concentrar no atendimento às necessidades mais prementes da comunidade. Acredita-se que, passado este período, muitos poderão desistir do cancelamento ao se informar melhor sobre a situação de cada localidade", afirma Macedo.

Para evitar o cancelamento das reservas, o executivo propõe a divulgação de informações sobre os destinos aos hóspedes. "Prepare uma mala eletrônica e informe a todos os seus clientes da real situação de seu empreendimento e da localidade onde se situa. Se cada hotel tomar essa medida, em pouco tempo será criada uma rede de informação que chegará até as pessoas e empresas com dados sobre a real situação do local e da empresa. Temos observado que os cancelamentos acontecem por falta de informação. Ao ver reportagens na TV, as pessoas imaginam que todo o estado foi atingido pelas inundações e que há falta de água e alimentos. Muitos acham que as vias rodoviárias estão todas interditadas", justifica.
Postar um comentário